Para correr sem se machucar

Levantamento europeu identifica os ajustes no treinamento que realmente afastam as contusões

1.jpg

A incidência de lesões entre corredores é altíssima: até 75% deles padecem com ao menos uma ao longo de um ano. Com isso em mente, o educador físico Laurent Malisoux, do Centro Público de Pesquisa em Saúde, em Luxemburgo, acompanhou por nove meses o treino de 267 praticantes do esporte - entre eles, 89 tiveram que ir para o estaleiro. “A prevenção das lesões depende de um balanço entre a melhora do preparo físico e o controle da sobrecarga imposta ao corpo”, raciocina Malisoux. Saiba abaixo, com base nos achados do artigo, como atingir esse equilíbrio.

Uma lesão gera outra

Segundo a investigação, o fator que mais predispõe a contusões é um histórico prévio de entorses, distensões e afins. Isso mostra a importância de se resguardar de encrencas musculares ou ortopédicas desde o início. E deixa claro que, ao se machucar, é vital dar tempo para uma recuperação adequada.

Confira as três medidas protetoras, propostas pelos cientistas, que são simples e fazem toda a diferença

Correr mais de duas horas por semana - Parece contraditório, mas faz sentido. Afinal, essa quantidade de exercício físico fortalece bastante os músculos. E pernas vigorosas são menos propensas a fraquejar. “Além disso, quem consegue superar essa marca tende a já estar mais em forma”, nota Malisoux.

Mudar o treino a cada semana - Se em uma o ritmo foi intenso demais, o ideal é maneirar na outra - de preferência, com a orientação de especialistas. Essa alternância na quilometragem ou na velocidade ajuda o organismo a se restabelecer de eventuais exageros.

Ter mais de um par de tênis - Cada calçado esportivo possui propriedades únicas, que impactam na sua forma de correr. Por isso, ao calçar um par em um dia e outro no seguinte, você evita cargas excessivas em uma mesma parte do corpo. Isso sem contar que a atitude facilita o processo de adaptação aos tênis.

#saúde #correr