Saborosas heranças

16655_receita.JPG
delícias: Ensopado de carne de porco com inhame, Angu com baiano e Canjiquinha com carne ralada

Patrícia Bueno Deliciosas páginas da história estão na obra A Cozinha dos Quilombos - Sabores, Territórios e Memórias, lançado pelo Instituto Dagaz, uma ONG com foco em ações de responsabilidade socia-cultural e esportiva que trabalha com projetos culturais em terras fluminenses. Um livro para "comer" com os olhos e ainda "degustar" passagens interessantes do dia a dia e das tradições de 29 comunidades quilombolas do estado do Rio de Janeiro, seus personagens e curiosidades. Entre as comunidades enfocadas na obra, quatro são de Campos: Conceição do Imbé, Aleluia, Batatal e Cambucá. A publicação chegou a Campos na terça-feira (18) e foi entregue por Marines Fernandes e Aline Mara, representantes da ONG e responsáveis pelo trabalho, ao presidente da Superintendência da Igualdade Racial, Jorge Luiz dos Santos. - Não se trata somente de um livro de culinária, mas de cultura - destacou Jorge Luiz ao receber o livro. São 29 comunidades, portanto, 29 delícias. A proposta é permitir que as comunidades ganhem visibilidade, estimulando o turismo cultural. De acordo com a ONG, o livro vem sendo divulgado em feiras no setor, organizações culturais, no Ministério da Educação e Cultura (MEC) e tem chegado também às mãos de chefs renomados. Coube à Superintendência da Igualdade Racial fazer a ponte entre essas comunidades e o Instituto, que tem sede no Rio de Janeiro. No trabalho de apoio, um representante de cada grupo foi escolhido para ensinar uma iguaria aos leitores. De Campos, saíram às delícias: Angu com baiano (Aleluia), a receita que abre o livro, e ainda, Ensopado de carne de porco com inhame (Batatal), Canjiquinha com carne ralada (Cambucá) e o Cantão (Conceição do Imbé). Este último prato chama bastante atenção por ser feito à base de banana verde. Quem provou, garante que é dos deuses. A obra traz mais de 200 páginas, ricamente ilustradas. Cada receita vem acompanhada de um texto sobre a comunidade e sua gastronomia, tendo ao lado uma versão em inglês. Ingredientes para agradar Ontem, o presidente da Superintendência de Igualdade Racial entregou um exemplar à prefeita Rosinha Garotinho. Ela classificou o trabalho como "interessantíssimo". -Vou apreciar com muito carinho - disse a prefeita. E é preciso tempo para saborear cada página, artisticamente trabalhada e ilustrada com belíssimas fotografias. A obra tem ingredientes para matar a fome de informação sobre a gastronomia e a vida simples dos remanescentes de escravos que vivem em várias cidades fluminenses. São preciosas e saborosas heranças sobre páginas.

Créditos: Jornal O Diário

#receitas #doces